Virgin
Novo carro da Virgin para a temporada 2011 da F1 (clique nas imagens do post para aumentar)

Enfim a maratona de apresentar os 12 carros da F1 2011 chega ao fim. Quem acompanha o blog, já viu alguns pitacos sobre as nove primeiras equipes a exibirem os respectivos carros para a próxima temporada, quem não lê aqui frequentemente (o que deve ser a minoria, afinal esse site é comprovadamente uma leitura obrigatória) pode clicar aqui e ver sobre a Ferrari F150, ou aqui se quiser saber da McLaren MP4/26, ou ainda aqui se quiser ver um apanhado de sete equipes que lançaram carros a rodo por aí.

O assunto deste post são os três times que ficaram faltando: Force India, Virgin e Hispania.

Entre essas, a primeira a ter apresentado o novo carro foi a equipe anglo-russa de Richard Branson, que agora quer ser chamada de Marussia Virgin, por conta da patrocinadora. Besteira, chamarei aqui de Virgin e pronto. Mesmo assim, eles mostraram, na segunda-feira, dia 8, o novo MVR-02. Pelo pouco que pude ver, o carro parece pouco promissor.

Para você ter uma ideia, peguei a foto do carro da Virgin, a mesma que você viu acima e comparei com o novo carro da GP2 (abaixo). Fiquei um bom tempo ali analisando e não vi grandes diferenças. O MVR-02 apenas parece o Dallara usado na categoria de acesso com alguns esteróides. Falando sobre o carro, ele tem linhas simples e um bico muito mais largo que o antecessor. Aliás, dessa vez, o bico é mais largo que qualquer outro já apresentado. Ainda assim não impressiona.

O novo carro da GP2, para compararmos
O novo carro da GP2, para compararmos

A grande vantagem do MVR-02 é o custo. Como o carro é todo feito em CFD, acaba que não usa os caríssimos túneis de vento. Então, a Virgin, que não é nada pobre, pode poupar uns trocados e provar ao mundo que a F1 pode ser sustentável, ou algo assim. Para melhorar, o MVR-02 não deve ser mais que 5s – salvo em Spa-Francorchamps – mais lento que os carros de ponta. Se levar em conta o orçamento da Red Bull e o orçamento do time anglo-russo, não parece algo tão ruim.

Quem sofre nessa brincadeira ambientalista de Richard Branson são os pilotos. Timo Glock e Jérôme D’Ambrosio terão um longo ano pela frente brigando com a Hispania e eventualmente com a Lotus. A parte boa é que Glock está animado e para quem viu o GP da Coreia do Sul do ano passado tem a certeza que algo de bom poder vir do MVR-02 nas mãos do alemão.

Hispania
Modelagem 3D do novo carro da Hispania para a temporada 2011 da F1

O segundo carro apresentado foi o da Forc… Hispania! Sim! Os espanhóis não falaram nada sobre o carro durante anos. Aliás, ninguém sabe se ele realmente existe! Mas no dia marcadao pelos indianos, a HRT roubou a cena e mostrou ao mundo uma das máquinas mais interessantes dos últimos anos.

Na verdade, o mostrado foi uma modelagem 3D, cheia de bolas vermelhos pedindo por patrocínio. Acho que é um investimento velado da Lucke Strike – aquela da BAR – nos mesmos moldes que a Marlboro faz com a Ferrari. Ok, claro que não é isso, mas salvo por essas bolotas estranhas, o carro da Hispania é um dos mais legais.

Pelo pouco que pode ser falado, o bico é retílineo e muito baixo, semelhante ao da Virgin em 2010. Além disso, a exemplo da Red Bull, o time espanhol também optou por manter a barabatana acima da tampa do motor. No final das contas, acho que a grande briga do HRT F111 será para não ficar acima dos 107% no treino classificatório.O que é uma pena. Um carro tão bonito como esse não merecia ficar nas mãos de Narain Karthikeyan e e e….

Force India
E a Force India também apresentou o novo carro para a temporada 2011 da F1 por meio de uma modelagem 3D

Por fim, a Force India seguiu o óbvio do mais previsível. Quem não entende nada de F1 sabia que o VJM04 sairia desse jeito. O que lamento muito. Paul Di Resta e Nico Hulkenberg é uma dupla muito legal para ter um carro tão insosso. (É, ignorei o Sutil).

Indo direto ao carro, o bico quadradão e grande já era esperado. A equipe optou por manter o que estava dando certo no modelo de 2010. A diferença fica por conta da entrada de ar ser abaixo do bico e não no meio dele, como nos outros carros. No entanto, não tenho certeza se isso signifique alguma coisa. A aerodinâmica também não traz nenhuma novidade a exemplo da maioria das equipes. O que chama a atenção é a entrada de ar na tampa do motor, copiando a Mercedes da temporada passada.

Como Force India e Mercedes tem uma parceria bem sagaz, já era previsível que o time de Vijay Mallya fosse adotar essa solução, ainda mais com a proibição do duto frontal. Acho que pode até dar certo, lembrando que a McLaren também criou algo parecido, mas ainda mais radical. Sutil fala em superar Renault e Williams com esse carro. Acho que eles podem, ainda mais que Kubica – um diferencial da equipe anglo-francesa – não estará competindo.

Depois dos 12 carros apresentados, gostei bastante de McLaren e Mercedes, mas acho que apenas os ingleses têm chances. O outro parece que vai se arrastar ao longo do ano. Eu torço também para que as três equipes novatas em 2010 consigem evoluir e, quem sabe, marcar algum ponto. Uma aposta furada? Vettel campeão em cima do Hamilton.