Travis Pastrana
Fruto de marketing ou não, Travis Pastrana foi o grande nome do Toyota All Star Showdown

Como eu escrevi no post de abertura sobre o Toyota All Star Showdown, o grande objetivo do evento é antecipar quem pode chamar a atenção nas diversas categorias da Nascar durante o ano. Se Matt Kobyluck, em 2009, e Joey Logano, na temporada passada, não tiveram grande destaque nos meses seguintes, quatro pilotos aproveitaram a corrida do sábado para colocarem os nomes na memória dos fãs da categoria e tentarem mudar o recente retrospecto  da sorte dos ganhadores.

No sábado, ninguem chamou tanto a atenção quanto Travis Pastrana. Afinal, como todas as câmeras estavam voltadas a ele, tudo o que fizesse seria visto e comentado. Contando com uma das melhores equipes na pista – a de Michael Waltrip – e com o equipamento usado por Ryan Truex no bicampeonato da Nascar East, Pastrana tinha tudo para fazer uma boa corrida.

Só que se havia desconfiança, era justamente pelo fato de o piloto estar estreando na Nascar. Com o apoio de Waltrip e de Matt Crafton, que corre na Truck Series, Pastrana fez uma corrida limpa e sem cometer erros, terminando a prova em uma excelente sexta colocação, sendo o melhor classificado entre aqueles que defendem o Leste. Incrível. O bom desempenho de Travis Pastrana é o suficiente para colocar um sinal amarelo em gente como Danica Patrick, Sam Hornish Jr e Ricky Carmichael, que ainda não engrenaram depois de fazer a transição para a categoria de turismo.

 

Jason Bowles
Jason Bowles conseguiu a vitória mais importante da carreira

Além disso, grande desempenho de Pastrana também já deixou todos os fãs da categoria sedentos para ver o que ele poderá fazer na Nationwide. Tenham certeza que muito sobre o piloto ainda será falado, afinal a estreia dele na divisão de acesso da Sprint Cup só vai ocorrer em julho.

Sem a mesma fama de Travis Pastrana, Jason Bowles é o outro nome que vai ficar na história da Nascar. Como vencedor do evento, o nome do piloto entrará em todos os livros que tratem sobre o Toyota Showdown. Campeão da Nascar West em 2009, Bowles pouco deveria precisar provar. No entanto, depois de peregrinar a última temporada entre diversas categorias da Nascar, Jason tem o nome no topo da lista das principais equipes de divisões inferiores à Nationwide e à Truck Series. Só que o piloto quer mais.

Jason Bowles espera que com a vitória no Toyota All Star Showdown alguma equipe lhe ofereça a oportunidade de competir de forma integral em alguma das grandes divisões da Nascar para que, enfim, ele possa alavancar a carreira. Pensando nisso, o primeiro passo já está programado. Bowles vai correr na etapa da ARCA, em Daytona, pela equipe de Eddie Sharp. Depois disso, o futuro segue incerto.

 

Derek Thorn
Com a pole-position conquistada, as pessoas passaram a se perguntar quem é Derek Thorn

Quem também terá o nome nos livros da Nascar será Derek Thorn. O novato conquistou a pole-position para o Showdown e liderou o maior número de voltas na noite. No entanto, o acidente com Paulie Harraka (provocado por um erro primário de Thorn), no segmento final, colocou uma mancha na apresentação do piloto. Mesmo com esse tropeço, Thorn espera que o desempenho apresentado durante o evento seja o suficiente para que ele consiga iniciar uma carreira de sucesso na Nascar East ou na West.

Por último, como já tinha antecipado, Paulie Harraka mais uma vez ficou no quase. Antes do Toyota Showdown eu já havia falado da fama de amarelão que começava a surgir no piloto. Durante a corrida, ele provou que isso tudo era passado. Largando no meio do pelotão, Harraka ultrapassou todos os rivais e rapidamente assumiu a liderança da prova de forma sólida. Se não fosse o acidente com Thorn no recomeço do último segmento, a vitória teria ficado com ele.

 

Paulie Harraka
Paulie Harraka (12) conseguiu finalmente chamar a atenção que já merecia

Apesar da batida, Paulie Harraka provou que já é um piloto formado. Se o desempenho em 2010 foi de altos e baixos – o que custou uma vaga em alguma das três principais divisões da Nascar – o desempenho apresentado no Toyota Showdown fez com que ele tivesse uma nova chance em 2011. Independente do que aconteceu no passado, todos agora vão estar atentos ao que Harraka fizer durante o ano. Boas corridas e o título da Nascar West podem acelerar um acerto com a Nationwide ou com a Truck Series. Aposto que até o final do ano ele ainda vai fazer algumas corridas em uma dessas duas categorias, já visando um acerto para 2012.

Ponto positivo: Com menos destaque que os quatro acima, vale lembrar de DJ Kennington. O campeão da Nascar do Canadá e que já tinha experiência na Nationwide fez uma prova sólida e foi o principal desafiante de Jason Bowles no final da corrida. Por muito pouco o vencedor do Toyota Showdown não foi um canadense. Aliás, o desempenho de Kennington só serve para provar a qualidade das divisões da Nascar fora dos Estados Unidos.

Ponto negativo: O desinteresse das equipes da Nascar East com o evento foi gritante. Mesmo que Irwindale fique na Califórnia, a distância geográfica não é desculpa. Afinal são quatro os times da Sprint Cup que competem no Leste: Joe Gibbs Racing, Michael Waltrip Racing, Richard Childress Racing e Red Bull Racing. Salvo o carro de Waltrip, para Pastrana, nenhum apareceu na corrida. Times como a Germain Racing também ficaram de fora. Nem mesmo a Revolution Racing se salvou. O time destaque de 2010 com Sergio Pena, só inscreveu um dos quatro carros que alinhou durante a última temporada: o de Darrell Wallace Jr, que terminou no muro.