Ferrari F1 2011
A nova Ferrari é tão conservadora que alguém mais destraído poderia dizer que é a máquina de 2010

A Ferrari apresentou nesta sexta-feira, dia 28, o novo carro para a disputa da temporada 2011 da F1. A primeira reação, no entanto, foi de que a máquina revelada, na realidade, era a de 2010. Para comparar com o modelo do ano passado, basta clicar aqui. Obviamente, não tenho orgulho do que escrevi na época.

Afinal, não são muitas mudanças visíveis em relação ao carro da última temporada, e o esquema de cores praticamente é o mesmo. Alterações mesmo levemente na asa dianteira, no bico de carro, nas partes aerodinâmicas próximas à entrada de ar e na suspensão traseira. Grande parte por conta da dificuldade da Ferrari em pistas que necessitavam de muita downforce, algo que a Red Bull tirou de letra no último ano. Além disso, a suspensão também servirá para uma melhor adaptação dos pneus Pirelli, algo findamental nesse ano.

De resto, tudo muito conservador. Sem o f-duct, não há a barbatana de tubarão/asa-bigorna. Além disso, a nova posição dos escapamentos e a distribuição de peso por conta do retorno do KERS fazem com que a parte não visível do carro seja ainda mais importante.

Ferrari F1 2011
Bandeira italiana na Ferrari é puro patriotismo, afinal, ninguém precisa de patrocinador, não é?

Quanto a um prognóstico para a temporada, é cedo para falar qualquer coisa. No entanto, carros conservadores demais não costuamam se dar bem. Para piorar, Stefano Domenicali, chefe da equipe de Maranello, afirmou que ouviu boatos sobre os demais times terem apostado em máquinas mais agressivas, ao contrário da Ferrari. Se isso se confirmar, aposto que antes do GP da Austrália já vai ter choro por conta da legalidade de certas partes dos demais carros.

Por fim, a F150 recebe esse nome para homenagear os 150 anos da unificação italiana. E, de quebra, o carro ganhou uma bandeira italiana pintada na asa traseria. Quer dizer, será que a Ferrari abriu mão do patrocínio da Etihad para ser mais patriota? Conte outra.. Aliás, notaram que o logo da Mubadala Abu Dhabi também não está mais presente? Por outro lado, o grande logo da Ferrari Marlboro, sem Marlboro está presente para todos verem bem na parte nome do carro.

Antes de encerrar o post, uma opinião pessoal. Embora ainda não tenhamos um parâmentro com o carro na pista, a impressão que fica é que faltou algo. O novo modelo é muito semelhante ao de 2010 e faz parecer que a equipe apenas corrigiu o que não deu certo na última temporada. Talvez o trauma do resultado em Abu Dhabi tenha sido tão grande que os engenheiros italianos construiram um modelo para evitar que a situação se repetisse e não uma nova máquina para um novo ano.

Por estarmos falando de um carro de ponta, fica a sensação de que queríamos mais. Talvez alguma inovação técnica surpreendente ou alguma mudança notável no visual – de maior importância que a placa da Marlboro ou a bandeira italiana – fosse o elemento que faltou. Os lançamentos das próximas equipes serão fundamentais para entender se a Ferrari optou por ser conservadora demais, ainda que isso possa se transformar em bom resultado, ou se a tendência foi os times não tentarem inovar muito.