Trevor Bayne na Wood Brothers
Trevor Bayne estreou pela Wood Brothers na etapa do Texas de 2010, impressionou e garantiu a vaga na Sprint Cup

Ao que tudo indica a temporada 2011 da Nascar Sprint Cup Series vai ter um piloto na disputa por Rookie of The Year. Depois de apenas o endinheirado, mas pouco habilidoso Kevin Conway ter sido o único novato em 2010, a nova geração da categoria será representada por Trevor Bayne.

O piloto de apenas 19 anos, que competiu nas duas últimas temporadas da Nascar Nationwide Series pelos time de Michael Waltrip e Jack Roush, foi confirmado pela equipe Wood Brothers para disputar 17 etapas da divisão principal ao longo de 2011, incluindo a Daytona 500, onde já estará garantido no grid de largada por conta dos pontos obtidos por Eliott Sadler, em 2010, terem sido comprados pela Wood para a nova temporada.

Infelizmente, Bayne será um caso isolado. A participação do piloto na Sprint Cup só foi possível pelo momento de renovação que a Roush-Fenway passa. O time de Jack Roush não está contente com o comodidade dos pilotos, visto que Carl Edwards, Matt Kenseth e Greg Biffle ficaram de fora da disputa pelo título – embora tenham se classificado para o Chase – e só venceram três vezes durante o ano.

So que é David Ragan quem está mais ameaçado. Depois de quase ter se classificado para o Chase em 2008, o piloto do carro número 6 garantiu o pomposo patrocínio da UPS, mas não conseguiu mais mostrar um bom rendimento. Enquanto os três companheiros terminaram a temporada passada entre os dez primeiros, Ragan finalizou em uma longínqua 24ª colocação. Ao que tudo indica, 2011 será uma disputa particular entre Ragan e Bayne. Quem mais se destacar, fica com a vaga no próximo ano.

Nessa, Bayne sai em vantagem. Afinal, para um novato chamar a atenção não é necessário fazer tanto quanto alguém que entra na quinta temporada da carreira.

E mesmo correndo em apenas 17 provas, Trevor Bayne também sai na frente na disputa para ser o novato do ano. Ainda que nenhum outro piloto tenha sido confirmado na competição, os outros dois nomes prováveis não oferecem tanto perigo: Brian Keselowski e Steve Wallace.

Keselowski – favor não confundir com Brad, o caçula – vai correr em algumas corridas com uma própria equipe e usando um equipamento defasado da Penske. Para ele, assim como foi para Conway em 2010, o mais difícil vai ser se classificar para as corridas. Já Steve Wallace está confirmado apenas para a Daytona 500, mas eu não descartaria a participação dele em mais algumas corridas, já que está garantido para as cinco primeiras etapas ao ter comprado os pontos de Sam Hornish Jr.

Como devemos ter corridas sem novatos, essa geração de novos pilotos da Sprint Cup ainda não empolga, mas certamente devem ser nomes presentes nos próximos anos na categoria.