Piloto de quem?

Lotus ART de Esteban Gutierrez
Esse é o carro da Lotus ART na GP2, pilotado por Esteban Gutierrez, da Sauber

Se há algo confuso no mundo da F1 é essa coisa de programa de desenvolvimento de piloto. Para citar alguns exemplos, temos o Ferrari Driver Academy, o McLaren Young Driver Program, o Red Bull Junior Team e a Scuderia Telmex.

Para garantir que os jovens pilotos nas arrumem onde correr categorias de base enquanto são preparados para a F1, não é incomum que esses programas se unam a times já pré-estabelecidos nas divisões de acesso. Algo como ocorre entre a Red Bull e a Carlin, na F3 Inglesa, onde os rubrotaurinos ergueram os três últimos troféus com Jaime Alguersuari, Daniel Ricciardo e Jean-Eric Vergne.

Quem sempre teve uma ligação com as categorias de acesso foi a Renault. Mesmo quando os times apoiados não eram chamados de Renault Junior Team, os pilotos do Driver Development da montadora sempre tiveram vagas asseguradas em boas equipes. Na GP2, o RDD se associou à Campos/Addax e à Durango.

Jules Bianchi
Jules Bianchi é piloto do Ferrari Driver Academy, mas vai competir na Lotus ART em 2011

Quando a Renault vendeu a equipe na F1 para a Genii – braço econômico da Gravity, mais um programa de gerenciamento de carreiras de jovens pilotos – a equipe DAMS, na GP2, passou a ser a apoiada pelo time de Gerard López.

Agora que a Renault de López foi vendida ao grupo de Dany Bahar e se tornou a Lotus Renault, o time junior da equipe na GP2 se tornou a sempre favorita ART Grand Prix, que, agora também associada a Bahar, passou a ser chamada de Lotus ART. Isto é, seja pilotos da Gravity, da Lotus de Bahar ou da própria Renault, eles têm vagas garantidas em uma das principais equipes da categoria de acesso da F1, certo?

Ao menos em 2011, não é isso o que acontece. A dupla da Lotus ART vai ser formada por Jules Bianchi e Esteban Gutierrez. O francês é piloto da Ferrari Driver Academy e ostenta o cargo de piloto de testes do time de Maranello, embora os treinos em si sejam resumidos à voltas em Mugello com o modelo de 2008. Já Gutierrez é da Scuderia Telmex e ocupa na Sauber função semelhante a do companheiro de equipe na Ferrari.

Bom, se descermos à GP3 a situação não melhora. A ART conta com Valtteri Bottas, Pedro Nunes e James Calado. O britânico corre com as cores da Racing Steps Foundation, enquanto o brasileiro – que eu saiba – não é ligado a nenhum grupo de gerenciamento de carreiras, embora seja patrocinado pela Claro, de Carlos Slim, do mesmo grupo da Telmex.

A situação de Bottas é ainda mais legal. Quando o finlandês foi campeão da F-Renault do leste europeu, lhe ofereceram um contrato para fazer parte do Renault Driver Development e ele recusou. Sim! Hoje, ele está em uma equipe junior do time da F1 que foi menosprezado anos atrás. Claro que a decisão de Bottas foi acertada, afinal o RDD deixou de existir em 2010, ainda assim é curioso como o mundo da voltas nesse caso.

Para finalizar, a bagunça é tão grande que mesmo com ART, DAMS e Addax tendo alguma ligação com a Renault, sabe para onde vai Fairuz Fauzy, piloto de testes do time na F1? Para a Supernova, na GP2.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s