Victor Carbone
Victor Carbone é o novo piloto do Brasil na Indy Lights

A rivalidade entre Brasil e Argentina não estará presente somente no Ferrari Driver Academy. Na Indy Lights, hermanos e nosotros também vão dividir o mesmo espaço. Se em Maranello Nicolas Costa é companheiro de Kevin Felippo, na América do Norte, Victor Carbone competirá ao lado de Esteban Guerrieri.

O brasileiro foi anunciado para ocupar uma das vagas na Sam Schimdt Motorsports, time atual campeão da categoria e favorito para a temporada 2011. Carbone deve substituir Philip Major, que negocia com a AFS e Andretti para o campeonato.

Ainda que tanto AFS quanto Andretti não tenham anunciado os pilotos para 2011, o brasileiro pode entrar como um dos favoritos ao título mesmo sendo novato. No último ano, JK Vernay – pela mesma Sam Schmidt – conquistou o campeonato mesmo sem nunca ter andado em um pista dos Estados Unidos antes de se juntar à Indy Lights.

JK Vernay
Mesmo novato, JK Vernay dominou a Indy Lights em 2010 correndo pela Sam Schmidt

O problema para Victor será a concorrência de Esteban Guerrieri. O portenho também começa na categoria depois de ser a estrela da temporada passada da World Series by Renault, quando perdeu de forma controversa o campeonato, cuja respectiva você pode ler clicando aqui.

A contratação de Victor Carbone pela Sam Schmidt surpreende, já que o brasileiro disputou, em 2010, a F2000. Mesmo tendo conquistado o título, o normal seria um pulo para a Star Mazda e não direto para a Lights.

Como já demonstrou talento anteriormente, vale a pena ficar de olho no desempenho do novato, afinal o Brasil não tem conseguido se renovar na Indy. Para o campeonato que se inicia em março, apenas Tony Kanaan, Helio Castroneves e Vitor Meira estão confirmados. Os três já têm certa idade e estão próximos de completar dez anos na categoria.

Nenhum outro piloto do país se firmou por lá, ainda mais depois do desempenho abaixo do esperado – para não dizer decepcionante – de Rapha Matos, que dominara todas as categorias de acesso norte-americanas antes de ir mal no certame principal. Portanto, a chegada de Victor Carbone como um piloto competitivo pode significar a manutenção do Brasil como uma das principais forças da Indy mesmo quando o trio se aposentar. Claro, sem esquecer aqui, Bia Figueiredo.

Para aproveitar o post, a Indy anunciou nesta terça-feira, dia 11, a implementação das relargadas em filas duplas, quase debaixo da linha de largada e chegada. Isso significa um aumento considerável na importância das bandeiras amarelas, além de beneficiar os pilotos mais técnicos e propiciar mais acidentes. Essa medida já havia sido adotada com um puta sucesso na Nascar.

O post de hoje foi uma dica do amigo Borgo, especialista em asfalto para circuitos ovais e sambódromos.