Dakar: deixando Victoria para trás

 

Mark Miller
Mark Miller terminou o primeiro dia do Dakar em 4º

O Dakar começou com a largada oficial logo no dia 1º, mas na abertura da competição, os pilotos apenas fizeram um deslocamento de 377 km entre Buenos Aires e Victoria. O que valeu mesmo foi a festa de abertura, com carros e motos pulando pela rampa de partida levando os fãs ao delírio.

Competição mesmo apenas hoje, no dia 2. Os participantes deixaram a cidade de Victoria rumo à Córdoba. Entre as duas cidades, 788 km de percurso, sendo que apenas 222 desses km – no caso de carros e caminhões – eram cronometrados.

Motos: O duelo esperado era entre Cyril Despres e Marc Coma, os dois últimos vencedores do Dakar. Coma até acompanhou o ritmo do francês no início do percurso, mas não foi capaz de superá-lo. A cada posto de controle, no entanto, outro piloto começou a aparecer na disputa: o português Ruben Faria. Companheiro de Coma na KTM, Faria em momento algum ficou 1min atrás de Despres, no trecho final, ultrapassou o atual campeão da competição e levou para casa a primeira especial de 2011, com uma vantagem de 29s. No entanto, o português acabou sendo punido por excesso de velocidade, caindo para o segundo lugar e dando o triunfo ao adversário.

Coma terminou em terceiro, Juan Pedrero Garcia colocou a quarta KTM entre os quatro primeiros, enquanto Paulo Gonçalves, com uma BMW, foi o quinto colocado. Apesar do investimento em contratações, a Yamaha não foi bem. Jonah Street terminou em sexto, Jordi Viladoms, o nono e Pal Ullevalseter apenas o 29º. Para justificar o fraco desempenho, o norueguês culpou a mudança no regulamento – de 650cc para 450cc na potência das motos – e disse que estava fora de ritmo por ainda não ter competido este ano. Bom, ninguém competiu né, Ullevalseter? Papelão hein!

Entre os brasileiros, Zé Hélio chegou a ocupar o quinto posto na metade do percurso, mas acabou terminando a especial em oitavo, com outra BMW. Jean Azevedo finalizou em 16º, enquanto Vicente De Benedictis foi o 75º.

Quadriciclos: O atual campeão, Marcos Patronelli, teve a participação na competição descartada no início do dia. No entanto, o piloto surpreendeu a todos e correu no Dakar, finalizando em nono, mesmo enfrentando problemas elétricos, fora do trecho cronometrado. O vencedor foi o tcheco Josef Machacek, seguido pelo compatriota Martin Plechaty e pelo uruguaio Sergio La Fuente.

 

Robby Gordon
Sem repetir o pulo de 2010, Robby Gordon voltou a levantar a torcida na largada em Buenos Aires

Carros: Carlos Sainz e Nasser Al-Attiyah repetiram o duelo de 2010 no início da especial deste domingo. Nos primeiros postos de controle, o qatari passou na frente com uma vantagem de 2s, logo em seguida foi a vez de o espanhol abrir a mesma vantagem. A partir daí, Al-Attiyah adotou uma estratégia mais cautelosa e viu Stéphane Peterhansel, que busca o decacampeonato, ser o maior adversário de Sainz.

Mesmo sendo mais rápido no trecho intermediário, Peterhansel terminou 1min31s atrás do vencedor Carlos Sainz. Al-Attiyah finalizou em terceiro, com um déficit de 2min16s. Por curiosidade, a diferença entre o qatari e espanhol ao final da competição de 2010 foi de apenas 2min12s, ou seja, menos do que hoje.

Mark Miller e Ginniel De Villiers, ambos com Volkswagens, completaram os cinco primeiros. Em seguida apareceram os novos contratados da BMW: o polonês Krzysztof Holowczyz e o argentino Orlando Terranova. Robby Gordon fechou em oitavo com o poderoso Hummer, enquanto o brasileiro Guilherme Spinelliencerrou o dia na nona posição, 12min atrás de Sainz. O grupo dos dez primeiros foi completado por Leonid Novitskiy, com outro BMW.

A outra dupla brasileira, formada por Marlon Koerich e Emerson Cavassin, finalizou em um excelente 20º posto. Melhor sorte não teve Guerland Chicherit. A bordo de um MINI, o francês teve problemas elétricos e terminou em 77º, quase uma hora atrás dos líderes.

Caminhões: O ‘czar’ Chagin, com um Kamaz, venceu mais uma vez. Algo que deverá ser muito comum no ano. A surpresa foi o segundo lugar do tcheco Ales Loprais, com um Tatra. O outro caminhão da montadora, do brasileiro André de Azevedo, finalizou em quinto. O primeiro dia de rali também marcou o abandono de Gerard de Rooy, um dos favoritos. O holandês cometeu um erro e danificou a suspensão em um salto, abandonando na sequência.

Amanhã os competidores saem de Córdoba e partem rumo a San Miguel de Tucuman. Serão 764 km, sendo 324 km de trecho cronometrado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s