Oliver Rowland
Na McLaren, Oliver Rowland já faz um trabalho físico específico para a transição para os monopostos

A história de Lewis Hamilton – quando ainda era um jovem piloto ter afirmado a Ron Dennis que um dia correria pela McLaren – virou clichê. Entre 2007 e 2008 essa cena foi repetidamente lembrada pelos principais meios de comunicação, afinal Lewis não só tinha acertado a previsão como estava na disputa pelo título da F1.

Adivinho ou não, Hamilton sempre contou com o apoio da McLaren no caminho rumo à F1. Algo raro. A equipe de Woking geralmente contrata os pilotos com os quais trabalha quando eles já se destacaram na F1. Basta ver os exemplos recentes de Jenson Button, Fernando Alonso, Kimi Raikkonen e Juan Pablo Montoya.

Ser a próxima aposta da equipe inglesa deve ser uma pressão e tanto. Afinal, o escolhido será constantemente comparado a Lewis Hamilton, que apenas foi campeão de todas as categorias que disputou em, no máximo, dois anos. Incluindo a F1, quando ainda novato chegou a liderar o campeonato até a etapa final.

Esse “novo Hamilton” da McLaren é Oliver Rowland. O também britânico (jura!) nasceu no dia 10 de agosto de 1992, em Penistone, e como qualquer aspirante a piloto começou a competir de kart no Reino Unido. Em 2007, aos 15 anos de idade, foi integrado ao programa de jovens pilotos da McLaren e no mesmo ano conquistou o título do campeonato britânico da modalidade.

 

Oliver Rowland e Richie Stanaway
Oliver Rowland (44) deixou Richie Stanaway (5) (atual campeão da F-ADAC Masters) para trás logo na sexta corrida da carreira

Rowland permaneceu no kart até 2010, mas já está trabalhando na transição para os monopostos. Em novembro, competiu no torneio de inverno da F-Renault UK – vencido por Alex Lynn – e terminou na sexta colocação em um campeonato que contou com os principais nomes da Inglaterra nas categorias pré-F3, além de gente como Daniil Kyvat, Carlos Sainz Jr e Richie Stanaway. O mais importante eu deixei para o final: mesmo com um grid tão competitivo Rowland venceu a etapa final naquela que foi apenas a sexta corrida do piloto nos monopostos.

Para 2011, Oliver Rowland deve competir na F-Renault, embora ainda não esteja certo se será no certame inglês ou no europeu. Nos treinos do fim de ano, o jovem testou tanto pela ART quanto pela Fortec e, pela equipe francesa, chegou a liderar um dos dias. Além desses dois times, a CRS, para quem competira no torneio de inverno, também tem interesse em contar com o garoto.

Mesmo com a pressão de seguir os passos de Lewis Hamilton, Oliver Rowland terá uma boa estrutura à disposição para provar, em 2011, que a McLaren acertou em contratrá-lo. Para ler os demais textos da série Promessas 2011, basta clicar aqui.