Para ganhar asas

 

Red Bull 2011
O novo visual dos carros da Red Bull, na Nascar, para 2011 (clique para ampliar)

Apesar de ter o melhor carro da temporada 2010 da F1, a Red Bull só garantiu os títulos de construtores e de pilotos nas duas últimas etapas do campeonato. Ainda assim, o ano dos rubrotaurinos pode ser considerado excepcional. Na Nascar, onde Dietrich Mateschitz também tem um time próprio, a situação foi bem diferente.

O time começou o ano com Brian Vickers em alta depois de fazer o Chase de 2009 e com Scott Speed conseguindo bons resultados depois de uma fraca temporada ainda como novato. Só que o desempenho da equipe caiu ao longo das provas, principalmente depois de Vickers ter sido diagnosticado – e afastado das pistas – com coágulos no sangue por conta de um buraco no coração.

Se as primeiras etapas pareciam promissoras para o time, a situação se inverteu no meio do ano. O cúmulo aconteceu na primeira corrida de Michigan quando Casey Mears – substituto de Vickers – envolveu Speed, o próprio companheiro de equipe, em um acidente na disputa por alguma posição no fim do pelotão. O caso é ainda mais grave se lembrarmos que foi na mesma pista de Michigan que Vickers tinha conquistado a primeira vitória da equipe na Nascar, se não contarmos o triunfo de A.J. Allmendinger no Allstar Showdown.

Scott Speed e Casey Mears
Pouco antes de baterem em Michigan, Scott Speed e Casey Mears mostram o velho visual do time

Por conta da batida e dos fracos resultados, Mears foi dispensado e a dupla padrão da Red Bull em 2010 acabou sendo formada por Scott Speed e Reed Sorenson. Mesmo com a nova mudança, os resultados seguiram sem aparecer.

A situação do time mudou no final do ano. O time celebrou a liberação de Brian Vickers para retornar às competições em 2011, enquanto Kasey Kahne – já contratado pela Hendrick para 2012 – acertou a transferência por um ano para a esquadra de Mateschitz. Com dois pilotos que constantemente brigam por vitórias, a expectativa do time é por um ano muito melhor. Prévia disso aconteceu na última corrida, em Homestead-Miami, quando o novo piloto marcou a pole-position e terminou em um excelente sexto lugar.

Talvez inspirada pelo sucesso da divisão da F1, a Red Bull fez algumas mudanças no time da Nascar para atrair melhores ares para 2011. A primeira delas é a mais visível e diz respeito ao visual dos carros. Kahne assumiu o carro azul escuro que era de Vickers, enquanto este vai passar a utilizar o modelo prateado. O esquema de pintura de ambas as máquinas também sofreu alterações. Outra mudança foram os números utilizados. Kahne descartou os números da oitava dezena (80, 81…) e vai usar o 4, que é uma marca registrada do piloto.

Kahne ainda trouxe Kenny Francis, com quem trabalhou na equipe de Richard Petty, como mecânico chefe. Já Vickers vai passar a trabalhar com Ryan Pemberton, com quem já estava antes da doença ser diagnosticada. Quanto a Speed, o ex-piloto de F1, demitido por fax, resolveu processar o time por ter quebrado o contrato quando ainda faltava um ano para o término. Por isso, o piloto ainda não definiu os planos para 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s