Teste da F2 em Valência
De Adrian Valles a Jack Harvey, a F2 reuniu uma série de pilotos destaques em 2010

 

A F2 vem perdendo o interesse de equipes, mídia e pilotos. Se a primeira temporada ainda teve boas disputas entre Andy Soucek, Mikhail Aleshin e Robert Wickens, além de um grupo de jovens pilotos mostrando habilidade, o ano de 2010 não cativou da mesma forma. O resultado foi um bando de pilotos pagantes em um grid cada vez mais esvaziado.

Se Soucek conseguiu a vaga de piloto de testes da Virgin, mesmo que por meia temporada, o futuro não parece muito melhor para Dean Stoneman, o novo campeão. O britânico negocia com a Lotus para fazer parte da equipe Junior na World Series by Renault ou na GP2. Para o restante dos pilotos, o futuro é ainda mais incerto.

A organização da F2 sabe das limitações da categoria e por isso resolveu investir pesadamente para atrair jovens pilotos para formarem o grid de 2011. O primeiro passo foi um treino em Valência, na quinta feira, dia 7, com uma série de jovens que tiveram algum destaque neste ano.

Foram 15 os escolhidos, divididos em dois grupos de treino, sem limites de volta. Dos oito que correram na sessão da manhã, estavam presentes Adrian Valles (campeão da Superliga em 2009), Robin Frijns e Jack Harvey (campeão e vice da F-BMW europeia na atual temporada), Jimmy Eriksson e Felix Rosenqvist (novatos da F3 Alemã), Harry Tincknell e Robert Foster-Jones (vencedores na F-Renault britânica) e Bart Hykelma (da F-Renault europeia).

Durante a tarde, foi a vez de Luciano Bacheta (finalista do prêmio McLaren Autosport), Pal Varhaug (primeiro vencedor da história da GP3), Miki Monrás (também da GP3), Marco Barba (campeão da F3 espanhola), Borja Garcia (é… ), Vladimir Arabadhiez (é… parte 2), e Marco Sorensen (outro novato da F3 Alemã).

Os tempos não foram divulgados, mas sabe-se que o mais rápido foi Valles, seguido de perto por Frijns. No final do dia, todos deram entrevistas dizendo que cogitam participar da F2 em 2011 e que estão impressionados com o carro e com a categoria.

Obviamente a maioria não cogita correr na F2 e falou isso como forma de agradecer ao convite. É só lembrarmos que Jack Harvey, por exemplo, já está fechado com a Carlin para a disputa da F3 Inglesa. De interessante mesmo, o próprio Frijns fez algumas críticas em relação à F3 Euro Series dizendo que não pretende participar de uma categoria em que o equipamento não é igual para todos os times (na F3 há motores Mercedes e Volkswagen), assim tudo leva a crer que ele vá correr de GP3.