Will Power e Dario Franchitti

A temporada 2010 da Indy termina neste sábado, dia 2, no oval de Homestead-Miami. Depois de quase sete meses e 16 etapas, Will Power e Dario Franchitti chegam à corrida final podendo conquistar o título. Representantes das duas equipes mais tradicionais do automobilismo americano, o piloto da Penske tem uma vantagem de 12 pontos para o da Ganassi. A disputa entre os dois vai muito além da rivalidade entre os times.

Will Power, apesar de já ter 29 anos, representa a renovação da categoria. Em 2010, finalmente um novo nome disputa o título. Na Indy desde 2008 apenas, o australiano não fez feio na atual temporada. Até agora, conseguiu cinco vitórias, quatro voltas mais rápidas e o recorde de oito pole-positions. Com esse retrospecto alcançou 587 pontos e liderou o campeonato em todas as rodadas.

O concorrente é o atual campeão Dario Franchitti, que já conquistou dois títulos em 13 temporadas na categoria. O experiente piloto conhece como poucos a tática da economia de combustível, que foi fundamental nos triunfos dos campeonatos anteriores. O britânico também se mostrou um piloto agressivo e arrojado, capaz de ganhar posições facilmente durante uma prova. Outro ponto a favor do piloto é a excelência nas relargadas.

Franchitti representa a velha guarda da Indy. Apesar da passagem pela Nascar, em 2008, o marido da atriz Ashley Judd faz parte do grupo dos mesmos pilotos que disputam o título desde 2002. Não é a toa que ele conquistou o Troféu A.J. Foyt dado ao piloto que mais pontos somou nos ovais durante a temporada 2010. A recuperação do britânico no campeonato começou nesse tipo de pista, que foi a origem da criação da Indy.

Power, por outro lado, garantiu a liderança nos pontos por causa das provas em circuitos mistos. Todas as cinco vitórias do australiano vieram nesse tipo de pista, que só foi implementada no calendário em 2005. Para se ter uma ideia da vantagem do piloto, ele ganhou o Troféu Mario Andretti, que premia o quem mais pontuar em mistos, com uma vantagem de 105 pontos para Franchitti.

Dessa forma, dá para entender porque Dario Franchitti é o preferido dos fãs mais antigos – e conservadores – da Indy para a conquista do título. Ele é casado com uma famosa atriz americana, é um rosto comum na categoria, já correu na Nascar e construiu seu caminho na temporada 2010 nos ovais.

Desde a polêmica entrada dos circuitos mistos na Indy, essas pistas não tinham uma importância tão grande para definir o campeão. E é aí que está a desvantagem de Power. De certa forma, o australiano é o resultado das mudanças da categoria que deixou o criador Tony George (defensor dos ovais e contra a internacionalização) para ouvir Randy Bernard.

E o prejuízo que eu disse acima é por conta do palco da decisão do campeonato ser justamente em no oval de Homestead-Miami. Franchitti é o atual vencedor da etapa da Flórida, que desde 2006 tem o vencedor sendo um piloto da Chip Ganassi. Enquanto isso, para o líder do campeonato resta se apegar às estatísticas que indicam Franchitti não ter conseguido descontar 12 pontos nas duas últimas corridas em ovais.