Nascar 2011 – parte 2

Truck de Miguel Paludo em Bristol
A etapa de Bristol pode ser um preview da participação brasileira na Truck Series em 2011

Miguel Paludo faz nesta quarta-feira, dia 18, a estreia nas três grandes divisões da Nascar, ao pilotar o Truck número 77 da Germain Racing, em Bristol. Esta é a primeira das quatro provas que o piloto de Nova Prata pretende fazer na categoria ainda em 2010.

Paludo é um dos dois brasileiros que podem disputar o calendário completo da categoria no ano que vem – o outro caso você não estava isolado do mundo nos últimos tempos sabe que é Nelsinho Piquet. Ao ex-piloto da Porsche GT3, assim como a tantos outros, o que falta é patrocínio para pagar a temporada completa.

Vindo o dinheiro, as chances de o brasileiro correr pela Germain são boas. A equipe é a mesma que tem Todd Bodine na liderança do atual campeonato. E pode ter Max Papis como um segundo piloto. Problema mesmo seria a fama de ser “time de um carro só”. Nos últimos anos, nenhum dos companheiros que Bodine teve conseguiu se sobressair no campeonato, e é possível que ninguém lembre o nome de algum deles. O melhor até agora foi o próprio Papis.

Falando no italiano, ele já oficializou que deixa a vaga de piloto da Sprint Cup, na Germain Racing, para brigar pelo campeonato da Truck Series na próxima temporada. O caminho natural é que ele corra pela própria Germain, mas eu não ficaria surpreso se o ex-piloto da CART fosse anunciado pela equipe de Kevin Harvick. Na Sprint, entra Casey Mears, que sai da Tommy Baldwin Racing.

A TBR é uma das equipes que tradicionalmente largam e param em todas as provas. Sem Mears, quase qualquer piloto pode assumir o volante do carro número 36. Levando em conta o que aconteceu esse ano, as chances de um rodízio entre Johnny Sauter e Jeff Green são boas.

Entre os demais start-and-parkers, Dave Blaney enfim deixou a PRISM, que deve manter McDowell para a próxima temporada. Em Bristol, corre Scott Riggs, que tem contrato com a Keyed Up, que não tenta se classificar faz séculos. A Latitude 43 segue perdida desde a saída de David Stremme e Landon Casill acabou se encaixando como novo piloto da TRG e da Phoenix Racing.

Carro da Sprint Cup de Brian Keselowski
Brian Keselowski pode ser uma das caras novas na Sprint Cup em 2011

Reed Sorenson, que sai da Red Bull com a chegada de Kahne, deve ficar na Braun Racing e liderar a chegada do time à Sprint Cup, assim como Brian Keselowski tenta “subir” com o próprio time. Eles podem tentar se classificar para uma agenda limitada de provas em 2011.

Sorenson e Brian Keselowski também devem continuar na Nationwide no ano que vem. Ontem, falei que ia comentar sobre a possível criação do Chase. Ainda bem que não fiz isso. A Nascar negou qualquer chance da medida ser criada para a categoria. Com base no novo calendário que permite aos pilotos da Sprint participarem de cerca de 30 provas da Nationwide sem conflitos logísticos preocupantes, é bom a categoria arrumar uma forma de deixá-los de fora do campeonato para não termos chatices óbvias como foram as últimas cinco temporadas.

Ainda é cedo para falar quem pode chegar ou sair da categoria. Eu arriscaria dizer que Justin Allgaier, Michael Annett, Trevor Bayne, Brian Scott e Tayler Malsam ficam. As chances de Brendan Gaughan permanecer são boas também. Aric Almirola é um nome certo, enquanto Ryan Truex deve aparecer na equipe Diamond-Waltrip, assim como Parker Kligerman na Penske. Sem equipe, mas com boas chances está Justin Lofton.

Ricky Carmichael e James Buescher ficam na expectativa da Turner Motorsports mudar da Truck para a Nationwide, ou pelo menos inscrever um carro adicional por lá. Uma parceria entre Turner e KHI não estaria descartada.

Para terminar, Cole Whitt, Kevin Swindell e Andrew Ranger não seriam tanta surpresa assim se aparecessem em 2011. Os três são apoiados por alguma equipe grande, com Whitt na Red Bull e os outros dois participando de provas na Baker-Curb.

Situação oposta vivem os jovens pilotos da Gibbs e da Roush. Dificilmente algum novato faça a temporada completa em 2011. Jack Roush já disse que não terá novamente carros em branco e para algum dos quatro novatos competir, será necessário ter patrocínio integral. A equipe tem tentado vender pacotes de provas mesclando os jovens pilotos com aqueles que já estão na Sprint Cup. Então a chance de Colin Braun, Brian Ickler, Ricky Stenhouse e Chris Buescher correrem a temporada toda é quase zero.

Pior que isso, só Max Gresham, Brett Moffitt, Matt DiBenedetto e Brad Coleman. Os quatro jovens pilotos estão acostumados com as vitórias e são elogiados por toda a categoria, mas são pilotos de Joe Gibbs. Alguém espera ver Kyle Busch e Joey Logano fora da Nationwide em 2011 para que algum deles consiga fazer a temporada completa? Pois é, nem eu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s