Mark Webber no pódio da Hungria
1,83m é a altura em que Webber alcançou no pulo em relação ao chão do palco de cerimônias (pulo+pódio) (não levem essa a sério)

0 carros das novas equipes abandonaram a prova. Pela primeira vez na temporada, todos os seis receberam a bandeira quadriculada. As duas Lotus terminaram na frente, seguidas por Glock, Senna, Di Grassi e Yamamoto

1’22’’362 foi a volta mais rápida da prova, marcada por Sebastian Vettel, no último giro

2 rodas não foram presas corretamente quando o safety-car entrou na pista. A de Rosberg, que saiu ainda nos pits, acabou com a corrida do alemão e acertou um mecânico da Williams, e a de Di Grassi, que ficou no carro do brasileiro, mas o obrigou a dar uma volta extremamente lenta e retornar aos boxes para que fosse colocada corretamente

3 corridas seguidas em que Sebastian Vettel larga na pole, mas não vence. Desta vez, uma punição por não manter o ritmo atrás do safety-car retirou-lhe a vitória. Para piorar, das sete vezes em que largou na frente, ele só conseguiu triunfar em uma

4 corridas seguidas com um piloto novato na zona de pontos

6 corridas seguidas na zona de pontos tem Jenson Button. É o maior intervalo entre todos os pilotos, já que tanto Lewis Hamilton, quanto Nico Rosberg – que pontuavam desde o GP da Espanha – abandonaram em Hungaroring. Por outro lado, Alguersuari não chega entre os dez primeiros desde a mesma corrida espanhola

6 posições perdeu Rubens Barrichello por não ter feito a parada nos boxes durante o safety-car. O brasileiro estava em quinto e caiu para 11º. Ele garantiu um ponto depois da ultrapassagem em Michael Schumacher

6 pontos marcou  Pedro de la Rosa. Agora todos os pilotos das equipes tradicionais saíram do zero no campeonato. Porém, desses 18, um não teria pontuado se a regra antiga – que beneficiava apenas os oito primeiros – estivesse em vigor: é o também catalão Jaime Alguersuari cujos três pontos são frutos de um nono e um décimo lugares

7 foi a melhor posição de chegada de Robert Kubica nas últimas três corridas. Nas demais, ele terminou abandonando. Onze pilotos tiveram resultados melhores que os do polonês levando em conta as mesmas três corridas

7 pilotos obtiveram o melhor resultado da temporada no GP da Hungria: Webber (1º), Petrov (5º),  Hulkenberg (6º), De la Rosa (7º),  Trulli (15º), Glock (16º) e Yamamoto (19º). Desses, Webber, Petrov e Hulkenberg conquistaram o melhor da carreira. Lembrando que o australiano já havia vencido em 2010, assim como Trulli iguala um 15º posto, embora ele tenha visto a bandeira quadriculada apenas neste GP

8 pontos é a diferença da Red Bull para a McLaren

10 carros é a diferença máxima que um piloto pode abrir durante o safety-car sem que seja considerado “falha em manter o ritmo”. Vettel estava ainda mais longe e por isso foi punido, perdendo a vitória

11 provas seguidas em que o piloto que marca a volta mais rápida não ganha a corrida. O único piloto a cravar o melhor giro e subir no lugar mais alto do pódio foi Fernando Alonso, no Bahrein. Como Vettel foi o pole por lá, ninguém fez o famoso “barba, cabelo e bigode”

14 foi a posição de chegada de Heikki Kovalainen, igualando o resultado obtido na China. O finlandês, no entanto, foi o 13º na Austrália

15 foi a volta chave da corrida, quando o safety-car foi acionado para que um detritão caído do carro  de Vitantonio Liuzzi fosse limpo. O australiano não parou, conforme o resto do pelotão e pulou para primeiro. Depois ele abriu uma diferença segura para Alonso e voltou na liderança quando fez a parada

20 pontos separam Webber, líder do campeonato, de Fernando Alonso, quinto. Hamilton está quatro pontos atrás do australiano, Vettel tem um déficit de dez para o companheiro, com Button 14 atrás do líder

161 pontos soma Mark Webber, novo líder do campeonato

312 pontos tem a Red Bull, que superou a McLaren na tabela de construtores

World of Motorsport Rookie of The Year:

Vitaly Petrov no computador
3 pilotos novatos pontuaram na Hungria. Petrov, por exemplo, precisou ir ao computador para calcular quantos pontos de bônus recebeu para o WOM Rookie of The Year

Para poder avaliar melhor os cinco novatos da temporada 2010, o World of Motorsport fará um campeonato a parte entre esses pilotos. A cada prova, eles receberão pontos no clássico esquema 10-6-4-3-2-1, além de bônus para cada ponto que marquem na temporada normal da Fórmula 1.

Além dos cinco estreantes – Lucas di Grassi, Bruno Senna, Vitaly Petrov, Nico Hulkenberg e Karun Chandhok – Kamui Kobayashi também entrará na competição por ter participado de apenas duas provas na carreira.

Em Hungaroring, a ordem de chegada foi Vitaly Petrov, Nico Hulkenberg, Kamui Kobayashi, Bruno Senna e Lucas di Grassi. Karun Chandhok não participou.

Após a prova húngara, Vitaly Petrov é o líder, somando 99 pontos, seguido por Nico Hulkenberg com 74 Depois vem Kamui Kobayashi, 73; Karun Chandhok, 38; Lucas di Grassi, 37 e Bruno Senna, 32.

A próxima etapa da Fórmula 1 será dia 29 de agosto, em Spa-Francorchamps, na Bélgica.