Sick

Brian Vickers na Nascar AllStar Race
Na primeira aparição pública após ser diagnosticado, Brian Vickers foi ovacionado pelo público na Nascar AllStar Race

Estou doente. E estou puto. Nunca entendi o porquê, mas sempre que adoeço é uma sexta-feira, ou véspera de feriado. Parece que é o jeito do meu corpo se vingar dos abusos sofridos durante a semana. “Você me tratou pessimamente nesses últimos dias, agora esqueça o final de semana e cuide de mim”, diriam as minhas células.

Hoje não foi diferente. Após mais de três meses de saúde plena – e coincidentemente a última indisposição foi num sábado – voltei a passar mal. Bem na verdade, o dia não começou bem. A Alemanha perdeu, e acredito  Schumacher deveria ter jogado. Rockenfeller também. Até falei isso dias atrás, mas parece que Joachim Low não ouviu. Depois, em plena ressaca do resultado, a febre me atacou.

Nunca sei lidar direito com essa coisa de a saúde não estar sempre 100%. Minha solução sempre foi me entupir de remédios para que os sintomas não atrapalhassem a minha rotina. Depois, eu melhoro aos poucos e não tomo mais os comprimidos. Espero que nenhum médico (nem parente) leia minha estratégia que, diga-se de passagem, nunca funciona.

Ninguém merece perder um final de semana convalescendo. Não que eu seja um baladeiro de plantão, ou tenha milhares de planos, mas sábado e domingo é a oportunidade perfeita dos workaholics – e dos preguiçosos – em colocar as obrigações da semana em dia.

E só para eu me sentir pior, nesse final de semana tem jogo do Brasil. E também tem a Nascar correndo pela primeira vez na história no tradicional circuito de Road America, em Elkarth Lake. Enquanto isso, a Sprint Cup compete em Sonoma, na Califórnia.

E a grande atração automobilística vem justamente da prova californiana. É a estreia de Mattias Ekström, bicampeão do DTM, na Nascar. O sueco, patrocinado pela Red Bull, foi liberado pela Audi, depois dos bons resultados em testes, para guiar o Toyota Camry número 83 neste final de semana, logo no primeiro circuito misto da temporada. Além dos títulos no DTM, Ekström já conquistou a Race of Champions em três oportunidades, em 2006, 2007 e 2009, além da Copa das Nações em 2005, ao lado de Tom Kristensen.

O sueco já tinha declarado interesse em correr na Nascar em outras oportunidades, mas ele recebeu uma chance apenas agora por conta da doença de Brian Vickers – titular do Toyota 83 – que tirou o piloto do restante da temporada. Vickers teve coágulos por todo o sangue, incluindo nos pulmões. Ele foi internado, diagnosticado e está em tratamento. A recuperação é longa e ainda há suspeitas de que ficar horas sentado dentro de um carro agrave o problema. Por tudo isso, ele retorna apenas em 2011.

Doente, Vickers vê pela televisão os olhos do mundo voltados para o carro em que costuma competir. Imagino que ele esteja frustrado. Ou então puto. Tudo isso por conta de uma doença que ele não pediu para ter. Eu estou doente. E estou tão puto quanto Vickers. Só espero que não coloquem nenhum Mattias Ekström para me substituir por aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s