Brian Vickers na Nascar AllStar Race
Na primeira aparição pública após ser diagnosticado, Brian Vickers foi ovacionado pelo público na Nascar AllStar Race

Estou doente. E estou puto. Nunca entendi o porquê, mas sempre que adoeço é uma sexta-feira, ou véspera de feriado. Parece que é o jeito do meu corpo se vingar dos abusos sofridos durante a semana. “Você me tratou pessimamente nesses últimos dias, agora esqueça o final de semana e cuide de mim”, diriam as minhas células.

Hoje não foi diferente. Após mais de três meses de saúde plena – e coincidentemente a última indisposição foi num sábado – voltei a passar mal. Bem na verdade, o dia não começou bem. A Alemanha perdeu, e acredito  Schumacher deveria ter jogado. Rockenfeller também. Até falei isso dias atrás, mas parece que Joachim Low não ouviu. Depois, em plena ressaca do resultado, a febre me atacou.

Nunca sei lidar direito com essa coisa de a saúde não estar sempre 100%. Minha solução sempre foi me entupir de remédios para que os sintomas não atrapalhassem a minha rotina. Depois, eu melhoro aos poucos e não tomo mais os comprimidos. Espero que nenhum médico (nem parente) leia minha estratégia que, diga-se de passagem, nunca funciona.

Ninguém merece perder um final de semana convalescendo. Não que eu seja um baladeiro de plantão, ou tenha milhares de planos, mas sábado e domingo é a oportunidade perfeita dos workaholics – e dos preguiçosos – em colocar as obrigações da semana em dia.

E só para eu me sentir pior, nesse final de semana tem jogo do Brasil. E também tem a Nascar correndo pela primeira vez na história no tradicional circuito de Road America, em Elkarth Lake. Enquanto isso, a Sprint Cup compete em Sonoma, na Califórnia.

E a grande atração automobilística vem justamente da prova californiana. É a estreia de Mattias Ekström, bicampeão do DTM, na Nascar. O sueco, patrocinado pela Red Bull, foi liberado pela Audi, depois dos bons resultados em testes, para guiar o Toyota Camry número 83 neste final de semana, logo no primeiro circuito misto da temporada. Além dos títulos no DTM, Ekström já conquistou a Race of Champions em três oportunidades, em 2006, 2007 e 2009, além da Copa das Nações em 2005, ao lado de Tom Kristensen.

O sueco já tinha declarado interesse em correr na Nascar em outras oportunidades, mas ele recebeu uma chance apenas agora por conta da doença de Brian Vickers – titular do Toyota 83 – que tirou o piloto do restante da temporada. Vickers teve coágulos por todo o sangue, incluindo nos pulmões. Ele foi internado, diagnosticado e está em tratamento. A recuperação é longa e ainda há suspeitas de que ficar horas sentado dentro de um carro agrave o problema. Por tudo isso, ele retorna apenas em 2011.

Doente, Vickers vê pela televisão os olhos do mundo voltados para o carro em que costuma competir. Imagino que ele esteja frustrado. Ou então puto. Tudo isso por conta de uma doença que ele não pediu para ter. Eu estou doente. E estou tão puto quanto Vickers. Só espero que não coloquem nenhum Mattias Ekström para me substituir por aqui.