Rafael Suzuki na F3 Japonesa
Rafael Suzuki não tem vida fácil no Japão

Quando Rafael Suzuki foi anunciado como piloto da TOM’S para o campeonato de F3 Japonesa, a carreira do brasileiro parecia que ia deslanchar, afinal todos os estrangeiros que competiram pelo time foram campeões, além de obterem certo destaque na tradicional prova de Macau.

Com Suzuki, a situação não foi tão fácil. Após seis corridas, o brasileiro parece ter se acostumado ao carro e a equipe. Tanto é que ele só não marcou duas pole positions por cerca de um centésimo de segundo. E pasmem, esse é o resultado da soma entre a diferença dos dois pilotos em ambas as corridas.

Na primeira prova do final de semana, Suzuki largou mal, caiu muitas posições, mas ainda conseguiu alcançar o terceiro posto, atrás apenas de Yuji Kunimoto e Yuhi Sekiguichi. Na segunda prova, o brasileiro foi ainda melhor. Largou em segundo e por lá terminou.

Com os resultados, Suzuki agora é o terceiro colocado no campeonato, com 25 pontos. Sekiguichi, o vice-líder, tem 29. O problema é que o carro da TOM’S continua imbatível. Nas seis primeiras provas, Kunimoto foi pole em cinco e fez a volta mais rápida e venceu todas. Ele soma 71 dos 72 pontos possíveis. É complicado o brasileiro tirar a diferença, ainda mais que o vencedor leva 10 pontos.

A efeito de comparação, Kunimoto está apenas 26 pontos da marca que alcançou em toda a temporada passada, quando somou 97. E ainda faltam 10 corridas para o fim. Mesmo que em 2009, Marcus Ericsson tenha virado na tabela de pontuação, a diferença entre líder e vice-líder não ultrapassou 20 pontos.

Rafael Suzuki terá uma nova tentativa de tirar a diferença para o rival no dia 17 de julho, em Fuji.