O real grid da Indy

Mazda da Newman Wachs SpeedSource
O que estaria o Mazda da Newman-Wachs/Speedsource fazendo no post da Indy?

A Indy divulgou nesta quarta-feira, dia 28, a lista de inscritos oficial para a etapa do Kansas. A euforia e o otimismo foram generalizados, afinal 27 pilotos se inscreveram para uma prova que não tem lá grande importância para a temporada.

Dissecando a lista, logo vemos a brilhante Milka Duno. Ninguém discute o mérito da venezuelana, que ao lado de Marty Roth, sempre deixou o grid da Indy mais largo que o da ChampCar. Mas o desempenho da piloto nas últimas provas beira o assustador, quase tomando tempo de pilotos da Star Mazda.

E Milka não é a única que está nessa situação. EJ Viso, Mario Romancini e Alex Lloyd não são exemplos de pilotos brilhantes, que chegaram à categoria exclusivamente pelo talento sem depender de patrocinador. Já Jay Howard e John Andretti só vão participar desta etapa para se preparem para a Indy500.

E ainda tem o Hideki Mutoh, que corre na Newman-Haas por causa do dinheiro da Panasonic e da Formula Dream. E quem diria que a equipe de Carl Haas e Mike Laningan falava em três carros, repatriando Sebastien Bourdais, mantendo Graham Rahal, dando uma chance a Lloyd, cogitando Mutoh e ainda apostando no jovem John Edwards, para a temporada 2010.

Aliás, falando em Edwards, por onde andaria? Para quem não se lembra, o americano de 19 anos venceu a Star Mazda, em 2008, e conquistou a Fórmula Atlantic, do ano passado, após uma virada na última prova em cima de Simona de Silvestro e Jonathan Summerton. Apoiado pela Newman-Wachs – equipe de Eddie Wachs com Paul Newman nas categorias menores e que desde a morte do ator foi comandada pelo parceiro – falou em competir este ano por GP2 ou cair diretamente na Indy, já que não interessava a Indy Lights.

A realidade foi bem diferente. Ainda trabalhando com Wachs, John agora compete na GrandAm a bordo de um Mazda em parceria com a equipe Speedsource, cujo dono é o veterano Sylvain Tremblay e é uma das grandes da categoria. Ironicamente, o parceiro do americano é Adam Christodoulou. O britânico, vejam só, foi o campeão da Star Mazda na temporada passada.

O grid da Indy aumenta, mas os pilotos (assim como os fãs) continuam reclamando de um modo geral da qualidade das corridas. Enquanto isso, o automobilismo de base norte-americano segue não revelando ninguém, que acaba migrando para a GrandAM ou para ALMS a fim de não ficar a pé. Em casos mais extremos, os jovens param na Nascar. Vendo por esse lado, não é tão difícil explicar por que a categoria de turismo superou a de monoposto por lá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s