Talladega!

Kevin Harvick venceu o final de prova emocionante em Talladega
Kevin Harvick venceu em Talladega após superar Jamie McMurray nos metros finais. E essa foi apenas uma das histórias do dia

Quando a Nascar chega à Talladega é certeza de um final de semana especial. Afinal, que outro lugar podemos ver filas de três carros lado a lado a quase 200mph, além da distância entre o líder e o 30º colocado mal alcançar dois segundos?

Este lugar incomum sempre é certeza de boas histórias. A primeira delas diz respeito a Kevin Harvick, que acabou com uma seca de 115 corridas sem vitórias em provas que valessem pontos na Sprint Cup (clique aqui e eu conto como foi). Ok, acabar com jejum de vitórias é lugar comum, embora um feito respeitável, porque esse triunfo do piloto de Richard Childress foi especial?

O carro número 29 esteve em todas as notícias da semana que passou. A Shell/Pennzoil, cujo contrato com a equipe se encerra no final do ano, anunciou uma parceria com a equipe Penske, que também afetará a Indy. Na Nascar, o patrocínio vai para Kurt Busch em um provável quarto carro da equipe de Roger Penske. Só que Harvick também está no último ano de contrato e já manifestou várias vezes o desejo de deixar a RCR em busca de uma equipe que lhe desse chances de vencer o campeonato (leia-se equipamento Hendrick). Sem o patrocinador, Childress sabe que dificilmente vai manter o principal piloto na equipe.

Em meio às notícias de troca de equipe, conseguiria Harvick se focar na corrida? Ele provou que sim ao vencer e deu a resposta logo que chegou ao Victory Lane. O piloto preferiu agradecer primeiro aos patrocinadores menores que já estão há anos com ele e depois lembrou-se da Shell. E ainda disse que o melhor de voltar a vencer é poder trazer quem investe à comemoração da vitória.

O triunfo de Kevin Harvick é marcado por algumas coincidências. A última vitória do piloto havia sido em Daytona, outro super oval. Na ocasião, era a primeira prova que o carro 29 trazia a pintura da Shell após anos com a GM Goodwrench. Agora em Talladega, foi a primeira corrida após o anuncio do fim do patrocínio.

Voltando a 2007, aquela foi a última Daytona 500 com o uso do carro antigo, que tinha spoiler. Agora, na primeira prova em um super oval com os spoilers de volta, Harvick venceu. Será coincidência? Esse post aqui do Fast Track RC explica o funcionamento dessa parte do carro assim como a estratégia do draftlock (que eles chamam de pas de deux) analisando via CFD, o mesmo aparato que a Virgin usou para construir o carro na F1. Recomendo a leitura.

Para finalizar, Harvick, que busca ainda uma equipe para realmente brigar pelo título é o segundo colocado na tabela de classificação, apenas 26 pontos atrás de Jimmie Johnson.

Falando no tetracampeão, a equipe Hendrick parece estar vivendo uma inédita crise. Enquanto os chefes de mecânicos, o que inclui Chad Knaus do carro 48, ainda não renovaram contrato, a parceria 248 vive o momento mais tenso. Depois da prova, Jeff Gordon declarou que o companheiro acabou com a paciência que restava ao relembrar os toques entre ambos no Texas e em Talladega.

Última história interessante sobre o final de semana. Alguém reparou no John Borneman III, que terminou em quinto na Nationwide? É um piloto da Costa Oeste americana, que participa da K&N Pro Series West e geralmente corre nas provas da Nationwide por lá, além de Daytona. Dessa vez ele resolveu se inscrever em Talladega e levou para casa o melhor resultado da carreira. Ele fez tudo isso com apenas quatro mecânicos nos pits.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s