IZOD patrocinará a Indy em 2010
A IZOD é o novo title sponsor a Indy em 2010

A Indy começa a temporada 2010 em volta à desconfiança em relação à qualidade técnica de parte dos pilotos presentes. O processo de substituição dos tradicionais nomes da categoria por jovens apoiados por grandes empresas, os chamados pagantes, fizeram alguns pilotos protestar. O World of Motorsport já analisou essa crise, conforme se pode ler aqui. Agora, a categoria continua e a nova temporada começa neste domingo, dia 14, em São Paulo.

Antes de falarmos dos pilotos, vamos às mudanças que aconteceram nesses últimos meses. Tony George, que já tinha deixado a presidência do Indianapolis Motor Speedway, assim como a da Indy, também fechou as portas da equipe Vision, comandada por ele. A categoria ganhou um title sponsor, passando a se chamar IZOD Indycar Series. E para comandar a Indy veio Randy Bernard, dos rodeios, com a missão de resgatar o sucesso de uma época nada distante.

Helinho na Indy 500
O esquema de pintura da Marlboro se despediu em 2009

E por falar em mudanças, a Penske resolveu aposentar o tradicional esquema de pintura alvirrubro da Marlboro, eternizado pela própria equipe americana assim como pela McLaren, na Fórmula 1, nos últimos 30 anos praticamente, mesmo com a proibição recente de estampar marcas de cigarro.  A equipe de Roger Penske utilizava a designação “Team Penske” no lugar, para burlar o regulamento. Estratégia semelhante é usada na Nascar, onde a Verizon não pode patrocinar um carro, pois é concorrente da Sprint, title sponsor da categoria de turismo.

Aliás, o novo esquema preto da Penske é por conta da Verizon. Embora ainda haja resquícios da presença da marca de cigarros nos carros pilotados pelos australianos Ryan Briscoe, 3º ano passado, e Will Power, que se recupera de um grave acidente sofrido em Sonoma, além do brasileiro Hélio Castroneves, que pôde se preparar para a temporada sem se preocupar com os problemas com a  justiça americana.

A nova pintura da Penske para 2010
Com nova pintura, a Penske é favorita para a temporada

Pelos testes da pré-temporada, a Penske pode ser considerada a favorita para 2010. Mas é bom nunca subestimar a equipe de Chip Ganassi, que conta com os dois últimos campeões: o neozelandês Scott Dixon, 2008, e o britânico Dario Franchitti, 2009. A Ganassi ainda deve inscrever um carro para Graham Rahal, em parceria com a Rahal-Letterman a partir da prova de St. Petersburgo, na Flórida.

Em meio à polêmica sobre poucos pilotos americanos, a Andretti Autosport se mantém alheia. Três dos quatro responsáveis por guiar os carros vêm da América. Marco Andretti, continua o legado da família ao assinar com a Venom Energy Drink para enfim fazer uma temporada sem incertezas. Danica Patrick, que se encontra em uma controversa mudança para a Nascar, e Ryan Hunter-Reay, que finalmente recebe uma oportunidade em uma grande equipe, embora ainda a participação em todas as provas ainda não esteja garantida. O outro piloto é o baiano Tony Kanaan, campeão de 2004.

Dos pilotos de 2009 da Andretti, Hideki Mutoh sobrou. O japonês apoiado pela Honda/Fórmula Dream/Panasonic agora estará presente no solitário carro da Newman-Haas, que não conta mais com o gordo patrocínio do McDonald’s.

Em 2009, a surpresa foi a Dale Coyne Racing. Antes, considerada a equipe mais fraca da Champ Car, foi a única a vencer fora os times mais ricos. A equipe agora poderá ter dois carros: um para a venezuelana Milka Duno, que também está interessada em se mudar para a Nascar, e outro para o novato Alex Lloyd, que deixou a Ganassi após dois anos de promessas frustradas.

Para quem já foi a maior rival da Penske, na época de Sam Hornish e Pennzoil, a Panther vem fazendo anos terríveis. A equipe continuará com o britânico Dan Wheldon, campeão de 2005, e espera resultados melhores que a décima posição conquistada em 2009.

Tracy e Tagliani brigando
Paul Tracy estará de volta para alegrar aos fãs com seu jeito único

A KV alinhará quatro carros para 2010, ao contrário do solitário bólido de Mário Moraes, na temporada passada. Sem o brasileiro, a equipe de Kevin Kalkhoven e Jimmy Vasser contará com dois estreantes: o japonês Takuma Sato, que passou pela F1 com relativo sucesso, e o britânico James Rossiter, apoiado pela Lotus malaia também da Fórmula 1. O venezuelano E.J. Viso completa os três pilotos inscritos regulamentes. O quarto elemento é o “Sr. Apronta tudo”, o canadense Paul Tracy, que fará pelo menos a Indy 500 e as provas no Canadá.

O maior nome da categoria é a da De Ferran Luczo Dragon Racing, literalmente. O World of Motorsport já comentou sobre a parceria entre Jay Penske e Gil de Ferran. Mesmo com um nome desses, a equipe contará apenas com o mineiro Rapha Matos, novato do ano de 2009, em tempo integral. O veterano Davey Hamilton correrá em Indy e no Texas, além de outro oval ainda a ser escolhido.

Justin Wilson trocou a Dale Coyne pela D&R e levou o patrocinio da Z-Line junto

Entre as equipes tradicionais, a Foyt mantém Vitor Meira, enquanto a Dreyer & Reinbold trouxe Justin Wilson para fortalecer o time ao lado de Mike Conway. Bia Figueiredo correrá com a D&R em São Paulo.

A última mulher confirmada em tempo integral é a novata Simona de Silvestro, 3ª colocada na Fórmula Atlantic em 2009, que correrá pela HVM, após a desistência de Robert Doornbos. Outros três novatos fecham o grid: Mário Romancini na Conquest, ao lado do belga Bertrand Baguette, que venceu a World Series by Renault em 2009, mas só deve correr em Indy. E Richard Antinucci que retorna ao Team 3G, que não participa da prova de abertura.

Alex Tagliani fecha todos os confirmados para a temporada completa com a nova FAZZT Race Team.

Entre os pilotos que farão poucas etapas, Sarah Fisher aparece de volta com a própria equipe em nove eventos e terá Jay Howard como companheiro em cinco. Sebastian Saavedra, da Colômbia, estreia na categoria com a equipe de Bryan Hertha, fazendo também cinco apresentaçãoes simultaneamente ao campeonato da Indy Lights. Robby Gordon e Townsend Bell vão disputar a Indy 500 em parceria com a Walker e com a Chip Ganassi, respectivamente.

O campeonato terá 17 etapas, sendo oito em ovais e nove em circuitos mistos ou em provas de rua. A novidade para 2010, e que as provas estão agrupadas no calendário. São quatro em circuitos mistos, seguidas por quatro ovais, depois cinco novamente em mistos e outros quatro ovais fechando. Além da prova em São Paulo, há duas visitas ao Canadá (Toronto e Edmonton) e uma ao Japão, em Motegi. Aqui você pode ver o calendário completo e aqui as estatísticas de todos os pilotos. Vale lembrar que o chassi deve passar por mudanças profundas em 2012. Clicando aqui, um pouco mais sobre essas alterações.

UPDATE: Apesar de todos os esforços de Graham e Bobby Rahal para que o piloto tivesse um carro competitivo, o negócio com a Chip Ganassi, anunciado neste guia, não foi fechado. Ao invés da Ganassi, o americano vai correr na equipe de Sarah Fisher. A princípio apenas para St. Pete e Barber, mas, desde já, Rahal segue buscando opções e patrocínio para continuar a correr durante a temporada. (10/03)