A estreia de Piquet

Nelsinho Piquet na Nascar
Nelsinho fez uma boa estreia e chegou em sexto.

E para quem duvidou, torceu ou simplesmente ignorou, Nelsinho estreou na Nascar. Chegou em sexto. E o relato da prova pode ser lido aqui, feito por este que vos escreve. Mas como aqui não é um blog que se prende somente aos resultados, farei uma breve análise da estreia do ex-piloto de Fórmula 1 na Truck Series.

Antes, uma pequena curiosidade: Nelsinho é o segundo brasileiro a participar da Nascar. O primeiro foi Christian Fittipaldi. Bem, Fittipaldi primeiro, depois Piquet. Aonde já vimos isso antes? Algum palpite sobre quem será o próximo? Olha que os espanhóis tão com problemas hein! Ok, ok, falando sério a partir de agora.

O ex-piloto da Renault não foi brilhante na classificação. Fez um 22º lugar, num treino que pouco vale. Ficou a frente de um companheiro, Timothy Peters, e atrás de outro, Justin Lofton. Piquet também não demonstrou em nenhum treino ser um dos mais rápidos, ao contrário do que aconteceu na ARCA.

Na corrida, o que dizer? Tudo poderia ter acabado em duas curvas, assim como acabou para Austin Dillon, Johnny Sauter, Landon Cassil e Jennifer Jo Cobb. Mas o brasileiro não deixou. Seja por reflexo da época de F1, seja por um excelente trabalho do spotter, Piquet passou entre os trucks de Sauter e Cassil evitando a batida. Podia ser só oba-oba de brasileiro, mas talvez devêssemos ficar de olho no filho do tricampeão.

Se nós brasileiros já estávamos de olho, na volta 32 foi a vez dos americanos darem atenção a Nelsinho. Outro grande acidente: carros batendo de cima a baixo na pista de Daytona e novamente Piquet desviou. O carro branco foi freando enquanto, centímetros a frente, outros pilotos batiam. Ele escapou de novo.

O resto da prova do ex-piloto da Renault foi conservadora. Ele apareceu em destaque mais duas vezes, quando Gosselin e Papis foram parar no muro. O canadense errou ao ser ultrapassado por Piquet. E não adianta ninguém esboçar uma reclamação de que o brasileiro o fechou. Afinal, é assim que se corre em Daytona, bloqueando quem está mais rápido. Mario Gosselin admitiu o erro e não citou Piquet. Muito diferente de Papis que passou horas no twitter reclamando e ofendendo ao brasileiro por causa do toque entre eles. Acidente de corrida.

Durante o restante da prova, Nelsinho tentou se manter na linha de dentro, mas muitas vezes acabou na linha de fora por conta das relargadas. No fim, Nelsinho era o quinto colocado e aparecia na trajetória interna. Ele poderia perder algumas posições, mas estaria tudo bem. Seria uma boa estreia. Mas o brasileiro não sossegou. Arriscou ir rente ao muro nas últimas curvas para tentar a vitória. Não deu. Mas o sexto lugar foi excelente.

Arrisco comparar o desempenho de Nelsinho ao do tetracampeão Jimmie Johnson em um superspeedway. E o brasileiro foi melhor. Mas não se assustem, já que Johnson é muito criticado pelo que faz nos super-ovais. Costuma ficar na linha de dentro o tempo todo, mas é bem habilidoso em desviar de acidentes. Assim os bons resultados e até as vitórias caem no colo.

Ah sim, para finalizar, a vitória ficou com Timothy Peters. A Red Horse Racing teve dois bons motivos para comemorar a prova de sábado.

Agora esperar a prova em Atlanta em março. Não imagino o brasileiro chegando em um TOP 10, mas será um bom teste para ver o que ele poderá fazer na categoria.

2 comentários sobre “A estreia de Piquet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s