Streaming
Alguns brasileiros perderam a linha em streaming da estreia de Nelsinho

Nelsinho Piquet enfim faria a estreia em Daytona. Seria pela ARCA, outra categoria de turismo americana. Não é um campeonato tão famoso, portanto essa corrida não foi exibida no Brasil. E como os fãs do piloto brasileiro iriam poder acompanhar esse primeiro passo na nova fase da carreira? O próprio piloto retwittou um endereço que estava exibindo os treinos da Nascar para a Daytona500 e iria mostrar a prova da ARCA na sequência.

Quem acompanha grandes eventos por streaming, sabe como é trabalhoso achar um que transmita com boa qualidade de imagem e som e sem lag. O endereço passado pelo próprio Nelsinho era um desses canais. Nos minutos seguintes, uma legião de brasileiros adentrou no local. Até aí, tudo bem. É muito bom ver a iniciativa do piloto em trazer aos fãs a oportunidade de acompanhar um dia tão importante.

Acompanhar, tudo bem. Mas bastou o primeiro grito de “brazilians show our forces” (sic) para a bagunça começar. Uma das regras do canal é a proibição de falar com o Caps Lock ligado. Quem desrespeitava era banido por dez minutos. Uma meia dúzia de brasileiros desrespeitou a regra e sofreu a punição. Foi o suficiente para alguns outros brasileiros entenderem que o problema era ter nascido por aqui.

Em meio às reclamações, os estrangeiros se desesperavam “Speak in english”, diziam. Não adiantou. A paciência deles terminou e agora quem falava em português, em um canal de língua inglesa passou a ser banido. Enquanto alguns perguntavam “Why I can’t speak another languages?” outros apelavam. No ápice da confusão lia-se um “esses *** não falam português. Tem que falar em português.”

A situação acalmou-se em alguns minutos. Embora até as primeiras voltas da corrida, os americanos pediam para que o assunto fosse a ARCA/Nascar e não a Fórmula 1, como alguns brasileiros faziam. Um usuário até fez um comentário interessante. “É como ir ao SuperBowl e falar sobre baseball”, disse em alusão à final do futebol americano, neste domingo.

Não fiz esse post para criticar a atitude de Nelsinho, tampouco generalizar e dizer que os brasileiros não deveriam acessar streamings estrangeiros. É apenas para dar a oportunidade ao leitor de ver outro aspecto da história da transição do ex-piloto de Fórmula 1 para a Nascar, que não estará em nenhum grande site por aí. Apesar dos confrontos iniciais, até o momento, a corrida vai bem e brasileiros, americanos e pessoas de outros países estão juntos assistindo em paz.

Curiosidade a parte, Geraldo Piquet, irmão mais velho de Nelsinho, esteve no mesmo site vendo a corrida. Foi muito simpático com os brasileiros e transmitia mensagens vindas direto de Daytona. Só não posso confirmar se era real, ou algum fã se passando por ele.