Carro da equipe Renault para a temporada 2010
Nova velha Renault, além de Robert Kubica e Vitaly Petrov

Hoje foi a vez de mais duas equipes apresentarem as máquinas para a temporada 2010 da Fórmula 1. Renault e BMW Sauber reuniram jornalistas e amantes da categoria para mostrar as novas caras para este ano.

As duas equipes tiveram alguns pontos em comum. Por exemplo, ambas vão ter um piloto estreante. A BMW Sauber terá Kamui Kobayashi. Não é uma cara tão nova na Fórmula 1, afinal o japonês agradou nas duas últimas etapas de 2009 ao realizar boas provas pela Toyota. Mas o histórico de apenas duas corridas na carreira não descredencia Kobayashi como novato. A Renault acabou com o mistério e trouxe Vitaly Petrov. O russo também veio da GP2, onde foi vice-campeão em 2009. Petrov é comparado a Kimi Raikkonen: um piloto vindo de um país frio, mas de coração mais frio ainda. Ainda assim é muito habilidoso.

O outro piloto dessas equipes foi escolhido pela experiência. Os séculos como piloto de teste da McLaren pesaram a favor de Pedro de la Rosa para se juntar a Peter Sauber em um momento de reconstrução da equipe. Robert Kubica, após três anos de BMW Sauber, se mandou para a Renault. O arrojo do polonês somado ao fato de ter disputado o título de 2008 foi fundamental para ser eleito como substituto de Fernando Alonso.

O carro da BMW Sauber para o ano de 2010 da Fórmula 1
Kamui Kobayashi, Pedro de la Rosa e a esquisita BMW Sauber

Ambos os carros trazem um visual antigo. A BMW Sauber manteve o mesmo esquema de pintura de 2009, mesmo com a saída da BMW. O azul foi trocado pelo preto e o carro ainda não tem patrocínio. A equipe suíça seguiu a McLaren ao unir a bigorna à asa traseira, mas foi mais agressiva nas mudanças do chassi.

A Renault, também sem grandes patrocinadores, mostrou um visual aurinegro marcante na história da montadora. As mudanças da equipe francesa foram mínimas. É um dos carros mais curtos do grid. Contrariando a tendência de aumentar a distância entre eixos para ganhar tanque de combustível. Resta ver se a solução encontrada pode ser mais efetiva.

A BMW Sauber, que não é BMW, vai usar motores Ferrari.  Pode? A Renault, que quase deixou de ser Renault, é gerida por um grupo de investimentos de Luxemburgo. Para finalizar, Peter Sauber avisou: quer ser o sexto colocado no campeonato de construtores. Atrás das quatro grandes – Ferrari, McLaren, Mercedes e Red Bull – e da Williams, provavelmente. Em outras palavras, quer ganhar de todos os times novos, ou que sofreram grandes mudanças, além da Force India.

Quem vai se dar melhor? Renault? BMW Sauber? Nenhuma? Kobayashi ou Petrov?