Nelson Angelo Piquet
Nelsinho divulgou sua agenda de transição para a Nascar

Nelsinho Piquet divulgou hoje, pelo próprio site/twitter, os últimos detalhes da agenda da transição para o automobilismo norte-americano. Agora, o World of Motorsport analisa e explica essa variedade de provas.

24 de janeiro – 1000Km de Interlagos: essa prova é diferente de tudo o que Nelsinho poderá encontrar na Nascar. É difícil imaginar o porquê de o brasileiro competir aqui, mas coloco duas hipóteses: pode servir como um “shakedown” do próprio piloto, afinal ele não compete desde o GP da Hungria. Outro motivo pode ser o fator motivacional. Sem a Fórmula 1, Nelsinho busca competir nas principais provas do automobilismo mundial e preferiu começar logo no Brasil.

Oval de Phakisa na África do Sul
Primeira prova em um oval de Nelsinho será em Phakisa na África do Sul

29 a 31 de Janeiro – Free State 500  na África do Sul: Quem imaginaria que para se adaptar a Nascar, Nelsinho iria começar pela terra da Copa do Mundo de 2010. Só que o país africano investiu na construção de um oval idêntico ao de Las Vegas, que faz parte do calendário da Nascar. Fora que a distância de 1,5 milhas do oval é a mais comum na categoria americana. Afinal, até agora, Piquet só treinou em New Smyrna, mais curto que os demais do calendário da Nascar Truck Series.

Contudo, alguns cuidados são necessários. Las Vegas é um oval atípico, se comparado a Charlotte, Atlanta ou Texas, por causa da inclinação progressiva das curvas. Quanto mais por fora, maior o ângulo. Além disso, as últimas fotos que eu vi do oval de Phakisa, eram desanimadoras. A pista até existia, mas faltavam cuidados com o asfalto e não consegui ver Safety Barrier. Quem conhece a prova de Las Vegas sabe a importância dos muros macios.

Carros da Nascar em Bumpdraft
Prova da Arca, pela equipe Eddie Sharp Racing, servirá para pegar a mão de Daytona e aprender detalhes como o Bump Draft

6 de fevereiro – ARCA – LUCAS OIL 200 – Daytona: Aqui é de praxe. Nelsinho não tem ainda a aprovação da Nascar para competir em Daytona, mas pode obtê-la caso não cometa bizarrices nessa prova da ARCA. O brasileiro vai competir pela equipe de Eddie Sharp, a mais forte da categoria.  Aliás, é a mesma equipe em que o companheiro de Piquet na Red Horse Racing, Justin Lofton, foi campeão em 2009. Em se tratando de Daytona, equipamento não quer dizer muita coisa, mas vale muito no aprendizado das peculiaridades dos super-ovais. Outra curiosidade, a Eddie Sharp Racing é a mesma em que Scott Speed fez a transição da Fórmula 1 para a Nascar.

Além de Nelsinho, outros pilotos que estão se mudando para a Nascar estarão nessa prova. Os principais nomes são Danica Patrick e Milka Duno, da IndyCar; Ricky Carmichael, da AMA Supercross e  Tim George Jr, da Rolex SportCar Series.

12 de fevereiro NASCAR Truck Series – NextEra Energy Resources 250 – Daytona: Finalmente a prova de estreia na Nascar, pela Truck Series. Nelsinho vai correr somente pela segunda vez em Daytona. Dessa vez é uma equipe boa, mas não de ponta, a Red Horse Racing. O que esperar de Nelsinho?

Se formos pensar em termos de transição, seria interessante para o brasileiro disputar a vitória, passar boa parte do tempo no bumpdraft e começar a conquistar o respeito dos adversários. Só que tudo isso aumenta o risco de um acidente, algo muito comum em Daytona. Por outro lado, pensando no campeonato, o brasileiro poderia fazer uma prova conservadora, ficar longe de acidentes e, quem sabe, conseguir um Top 10 na estreia. De qualquer forma, essa é apenas a primeira prova do calendário da Truck Series e é muito cedo para tirar conclusões sobre como será o campeonato.