Touareg de Al-Attiyah
Al-Attiyah venceu a especial e diminuiu a diferença para Carlos Sainz

Alguns lugares são marcantes na vida da gente. Para os participantes do Dakar, pelo menos em 2010, Antofagasta será um desses lugares. Vai entender o amor que a organização do Rali tem pela cidade portuária chilena, mas fato é que os competidores passarão três noites na cidade. A primeira já foi, quando vieram de Copiapó, no quinto estágio. Agora não vai ser só uma noite, mas duas, afinal amanhã é dia de descanso.

Se os participantes do Dakar não tivessem que deixar os veículos prontos para a volta à Buenos Aires, poderiam conhecer o monumento A Portada, ou visitar o exato lugar que passa o Trópico de Capricórnio. Se preferirem descansar, a cidade conta com oito praias e balneários famosos na região por uma, de certa forma, agitada vida noturna. Até porque, para quem participa do Dakar, vida noturna é sinônimo de muito trabalho nos acampamentos, correr contra o relógio para deixar o carro pronto para a especial do dia seguinte.

O primeiro a chegar ao merecido descanso, se é que poderemos chamar assim, foi Cyril Despres. O francês venceu a emocionante especial de hoje nas motos. O dia começou com Pal Ullevalseter na liderança, mas no terceiro posto de controle, 227 km longe de Iquique, foi David Fretigne quem apareceu na frente. Fretigne travou uma excelente disputa com o chileno Lopez Contardo até o reabastecimento do quilometro 448, mas a partir daí Marc Coma assumiu a liderança, até que Cyril Despres, por trinta segundos, chegou antes em Antofagasta.

Despres tem uma hora de vantagem para Coma, na geral, seguido de Rodrigues, Ullevalseter e Lopez Contardo. Fretigne é sétimo, após o terceiro lugar de hoje. O brasileiro Rodolpho Mattheis chegou em 35º e se mantém na 25ª posição do Dakar.

Tatra de André de Azevedo
Fora da competição, o Tatra está de volta.

Se nas motos, Marc Coma e Cyril Despres duelaram até o final. Nos carros, Peterhansel e Al-Attiyah disputaram a vitória. O francês saiu na frente, mas após o posto de controle número 5, o piloto do Qatar já era líder. No final, vitória para Nasser Al-Attiyah, seguido por Peterhansel, Sainz e Miller. Robby Gordon parece ter passado por problemas novamente. Já Guilherme Spinelli finalizou o percurso em 12º, enquanto Jean Azevedo terminou na excelente 18ª posição.

No geral, Sainz viu a diferença para Al-Attiyah cair para 10 minutos, Miller vem em terceiro, seguido das BMW de Chicherit e Peterhansel. Depois vem o Nissan de Holowcyzc e os Mitsubishis de Carlos Sousa e Guilherme Spinelli.

Alejandro Patronelli levou a melhor, nos quadriciclos, contra o irmão Marcos e venceu a etapa de hoje. Todavia, Marcos ainda é líder na soma dos tempos com uma vantagem de mais de duas horas.  Sonik terminou em terceiro novamente, mas está seis horas atrasado.

Nos caminhões, mais uma dobradinha Chagin-Kabirov. Chagin é o líder no geral, com vantagem de uma hora para o companheiro de equipe. André de Azevedo abandonou o Dakar, mas continuará o caminho pela América do Sul como suporte de Rodolpho Mattheis e Jean Azevedo, que fazem parte da mesma equipe. Vantagem para eles, afinal o Tatra de André de Azevedo já se mostrou um dos caminhões mais rápidos da competição.

Amanhã é dia de descanso. No domingo, é dia de voltar à Copiapó. Serão 568 km, com 472 desses cronometrados.