Peterhansel na BMW
Peterhansel foi o primeiro após vencer a areia. (arquivo)

Dia 4 de janeiro de 2010, o dia em que o ano começou. Depois do Réveillon e do fim de semana, hora de voltar ao trabalho. O Dakar seguiu à risca a recomendação, porque a especial de hoje, entre La Rioja e Fiambalá, foi a primeira vez que os competidores encararam as dificuldades da areia.

Fiambalá é uma cidade no fim da Argentina, com pouco mais de dois mil habitantes, cujo maior destaque são os vinhedos. Os poucos habitantes da cidadezinha puderam receber os participantes do rali após a especial mais curta de 2010, apenas 182 km cronometrados. Entretanto, mais curta não quer dizer mais fácil.

Cyril Despres dominou o dia nas motos, chegando mais de 10 minutos na frente do português Helder Rodrigues. David Casteau foi o quarto, enquanto Marc Coma e David Fretigne enfrentaram problemas terminando em 9º e em 44º, respectivamente. Despres considerou o quarto estágio, um típico trecho do Dakar africano, talvez por isso a vitória fácil.

Jonah Street e Franz Verhoeven se recuperaram. O americano finalizou em oitavo, enquanto o holandês foi o 11º. Entre os brasileiros, Thiago Fantozzi terminou em 19º e Rodolpho Mattheis, em 37º. Na classificação geral, Despres lidera seguido por Casteau, Rodrigues, Manca e Duclos. Fantozzi é 18º.

Nos quadriciclos, a bruxa continua solta. Após Sonik enfrentar problemas no trecho anterior, foi a vez do ex-líder Deltrieu ter um dia difícil. Após um acidente, foi transferido para Fiambalá e deixou o Dakar. Outro que abandonou a competição foi o motociclista espanhol Jordi Viladoms, que caiu nessa etapa. O argentino Halpern venceu, seguido pelos irmãos Patronelli, com Marcos na frente de Alejandro. No geral, é Alejandro Patronelli quem lidera, seguido por Marcos e Halpern. Machacek é o 11º.

O Kamaz de Chagin
Mais um passeio para Chagin e o Kamaz?

Etapa típica de Dakar africano também para os carros. Peterhansel, de BMW, venceu com uma vantagem de dez minutos para Carlos Sainz. O vencedor de ontem, Nasser Al-Attiyah, foi o terceiro. Depois vieram Mark Miller e Guerlain Chicherit. Giniel De Villiers enfrentou problemas no início do estágio e foi só o 32º.

Entre os brasileiros, Spinelli foi e o 10º e Maurício Neves, sem repetir a boa atuação de ontem, foi o 14º. O americano Robby Gordon terminou entre eles em 12º. Jean Azevedo novamente enfrentou problemas e, até o momento, ainda não passou pelo primeiro posto de controle.

A areia fez a classificação geral sofrer grandes mudanças. Peterhansel agora é líder, quase cinco minutos à frente de Carlos Sainz. Al-Attiyah e Mark Miller são terceiro e quarto, enquanto Holowczyz é o quinto no heróico Nissan. Allfie Cox subiu para sétimo seguido por Guilherme Spinelli, Robby Gordon e Maurício Neves.

Os caminhões não sofreram alterações na classificação. Assim como ontem, Chagin, Kabirov e André Azevedo foram os três primeiros, mesmas posições que ocupam no geral. Destaque para Jan Lammers, ex-piloto de Fórmula 1, que disputou posição com o Kamaz de Mardeev, mas ficou em 7º. Mardeev foi o quarto.

Um helicóptero da organização caiu e deixou quatro feridos. Amanhã o Dakar cruza a fronteira rumo a Copiapó, percorrendo 629km, dos quais 203km cronometrados. Esse trecho deve ser ainda mais difícil, passando pelos Andes e a esperada chegada ao Deserto do Atacama.